Criada em 08/02/2019 às 10h55 | Exportações

Tocantins abre o ano de 2019 com mais de US$ 29 milhões em exportações, maior valor nominal da história para janeiro

Um fator que ajudou o Tocantins é a guerra comercial entre China e Estados Unidos, avalia o presidente da Aprosoja-TO, Maurício Buffon. Segundo ele, os asiáticos acabam ampliando as compras do Brasil, enquanto o impasse com os norte-americanos não é resolvido.

Imagem
Do valor total, 43% correspondem a soja comprada pela China, maior parceiro do Estado há vários anos. Comparando com janeiro de 2018, crescimento é de 163% (foto: UGT.ORG\Divulgação)

DANIEL MACHADO
DE BRASÍLIA (DF)

Os produtores rurais e as empresas do Tocantins começaram o ano exportando US$ 29,24 milhões (R$ 108,19 milhões na cotação desta quarta-feira, 6 de fevereiro) para o exterior no mês de janeiro. O valor nominal é o maior já registrado para o período na história do Estado e, mesmo acrescentando a inflação, ele supera o 2016, quando as vendas para o exterior em janeiro haviam superado os US$ 25 milhões.

Em relação a janeiro do ano passado, o crescimento foi de 163%, ou US$ 18,11 milhões. No primeiro mês de 2018 as exportações tocantinenses haviam ficado em US$ 11,12 milhões.
As informações foram coletadas pelo Norte Agropecuário no site Comex Stat, sistema administrado no Brasil pelo governo federa e que reúne os principais dados de transações comerciais internacionais com base em padronização do Mercosul.

Do total exportado, 43%, ou seja, US$ 12,43 milhões, foi de soja para China, maior parceiro comercial do Brasil e do Tocantins há vários anos.

Antes de janeiro de 2019, o maior valor registrado para o mês havia sido em 2016, com US$ 25,17 milhões. Mesmo atualizado pela inflação, o montante daquele ano ainda é um pouco menor do que o registrado agora.

Depois da soja para a China, o segundo maior volume de exportação foi de US$ 3,8 milhões em carne para Hong Kong, região administrativa especial também localizada no grande país asiático.

GUERRA COMERCIAL

Para o presidente da Aprosoja (Associação dos Produtores de Soja e Milho do Tocantins), Maurício Buffon, destacou que o início do plantio em 2018 foi antecipado, ocorrendo por volta de outubro. “Como a nossa safra começou mais cedo, automaticamente já temos navio em janeiro e já estamos vendendo”, ressaltou Buffon.

Conforme o líder ruralista, outro fator que ajudou o Tocantins é a guerra comercial entre China e Estados Unidos, pois os asiáticos acabam ampliando as compras do Brasil, enquanto o impasse com os norte-americanos não é resolvido.

LEIA TAMBÉM 

Jornada Tecnológica aproxima ainda mais cooperado da Coapa, afirma Ricardo Khouri

Organizado por cooperativa no interior do Tocantins, dia de campo atrai empresas e estimula novos negócios

Com participação de 400 pessoas, evento apresenta inovação e técnicas de produção a agricultores do Tocantins

Empresa apresenta seis linhas de produtos em dia de campo

Dia de campo é momento decisivo para produtor, diz consultora de mercado ao destacar participação em evento no Tocantins

Syngenta segmenta apresentação de produtos durante dia de campo no interior do Tocantins

Tags:

Comentários


Deixe um comentário

Redes Sociais
2019 Norte Agropecuário