Criada em 05/10/2018 às 11h48 | Gado

Criadores brasileiros devem vender 150 mil bovinos vivos por ano a sauditas; mercado movimentou US$ 3,7 bilhões em sete anos

Negociação para exportar bovinos vivos foi acertada com autoridades do país. Sauditas visitaram neste ano o porto de exportação de animais vivos localizado no Pará e fazendas de criação e de exportação de gado.

Imagem
Em novembro, nova reunião será realizada em Riade, com representantes dos dois países, incluindo empresários, para tratar de detalhes operacionais (foto: Claudio Bezerrra\Embrapa)

To acertar os detailed versions and public companies of export animals growing to the Arábia Saudita, integrante do Departamento de Saúde Animal (DSA) do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), Ministério do Meio Ambiente, Água e Agricultura, país ( MEWA), além do casamento dos países, reunido em novembro, em Riade. O animal do Mapa do Animal de Saúde, Guilherme Marques, disse que os países africanos são exportadores até 150 mil animais por ano ao mesmo tempo que o abate e a reprodução.

No domingo (30), o Brasil concluiu a negociação em 2014 para uma exportação de animais vivos para a Arábia saudita, durante a missão organizada pelo Mapa. Na oportunidade, foi acertado o modelo de certificação que será firmado no Mapa para o animal que deseja esse país.

A abertura de mercado foi baseada em sua agenda veterinária saudita que esteve no Brasil em maio. Na oportunidade, os inspetores saudaram os escritórios do Ministério do Mato Grosso e no Pará, a indústria oficial (Lanagro / PE), o porto de destino dos animais vivos, localizados no Pará, e as fazendas de criação e exportação de gado. Uma missão técnica foi realizada para que os Estados Unidos adotassem a Espongiforme Bovina (EEB) de acordo com as normas estabelecidas pela Arábia Saudita e pela Organização Mundial da Saúde Animal (OIE).

O festival de gado vivo é uma atividade preexistente somente por países que possui controle permanente dos seus rebanhos. A exportação de gado também representa um canal de produção, contribuindo para a melhoria da rentabilidade do mercado rural que fazem a manutenção da sanidade do plantio, dos contratos nutricionais, da administração da empresa e, consequentemente, da geração de emprego e do financiamento brasileira.

Nos últimos sete anos (2010-2017), uma atividade gerou US $ 3,7 bilhões em divisas ao país. No ano passado, a exportação de bovinos vivos garantiu o faturamento de mais de US $ 276 milhões e neste ano já superou US $ 300 milhões.

As sauditas também querem iniciar as rotinas para a elaboração de normas (Certificado Zoosanitária Internacional) que viabilizam a importação de material genético de espécies de aves do Brasil. “A Arábia representa uma possibilidade dos exportadores brasileiros diversificarem suas vendas no Oriente, em um mercado de alto poder aquisitivo”, observado o diretor. ( Do Mapa)

Tags:

Comentários


Deixe um comentário

Redes Sociais
2018 Norte Agropecuário