Criada em 18/05/2018 às 18h05 | Hortifruti

Defesa Agropecuária destrói 16 toneladas de laranjas sem procedência apreendidas na capital do Tocantins na sexta-feira

Condutor não possuía a Permissão de Trânsito de Vegetal (PTV), documento necessário para viabilizar o transporte de vegetais para dentro e fora do Estado, foram apreendidas pela Adapec na manhã desta sexta. O motorista foi multado em R$ 2.700,00.

Imagem
A carga foi destruída no aterro sanitário. Motorista alegou que a carga vinha de São Paulo, ou seja, de uma área que não é livre da praga cancro cítrico (Foto Divulgação Adapec)

Dinalva Martins
DE PALMAS (TO)

Nesta sexta-feira, 18, em Palmas, uma equipe da barreira volante da Agência de Defesa Agropecuária (Adapec) apreendeu 16 toneladas de laranjas sem a Permissão de Trânsito de Vegetal (PTV), documento necessário para viabilizar o transporte de vegetais para dentro e fora do Estado. Devido à falta de comprovação de origem das frutas, o motorista foi multado em R$ 2.700 e a carga destruída no aterro sanitário.

Durante a abordagem, de acordo com o diretor de Defesa, Sanidade e Inspeção Vegetal da Adapec, Alex Sandro Arruda, o motorista do caminhão apresentou uma nota fiscal em que constava outra placa de veículo. Além disso, alegou que a carga vinha de São Paulo, ou seja, de uma área que não é livre da praga cancro cítrico. "É proibido o trânsito de áreas não livres para áreas certificadas livres, como foi este caso, portanto, o condutor poderia estar trazendo a praga e prejudicar a produção da cultura do nosso Estado", explicou.

O Tocantins tem o status fitossanitário ausente para praga cancro cítrico. "A fiscalização de trânsito objetiva garantir o cumprimento das legislações federais e estaduais específicas para o controle da praga, e com isso, assegurar a sanidade da citricultura no Estado", pontuou o presidente da Adapec, Alberto Mendes da Rocha.

Cancro cítrico

O cancro cítrico, causado pela bactéria Xanthomonas citri subsp. citri, afeta todas as espécies e as variedades de citros de importância comercial. Os impactos desta doença estão relacionados à desfolha de plantas, à depreciação da qualidade da produção pela presença de lesões em frutos, à redução na produção pela queda prematura de frutos e à restrição da comercialização da produção para áreas livres da doença. (Da Adapec)

Tags:

Comentários

{{c.nome}}
{{c.comentario}}
{{c.dataCriacao}} às {{c.horaCriacao}}

Deixe um comentário

Redes Sociais
2018 Norte Agropecuário