“Status livre de aftosa sem vacinação vai agregar valor e trará rentabilidade aos produtores do Tocantins”, diz veterinário

Responsável técnico pelo Programa Estadual de Erradicação da Febre Aftosa, o médico veterinário João Eduardo Pires, da Agência de Defesa Agropecuária do Tocantins (Adapec), detalhou em entrevista ao Norte Agropecuário No Rádio, no domingo, dia 28, na UFT FM, o trabalho do Estado de retirada da vacinação. A meta é obter o status internacional em 2023. O último caso de febre aftosa registrado no Tocantins foi em maio de 1997, em Divinópolis.

Segundo ele, com o status, o Tocantins vai agregar mais valor e trará rentabilidade aos produtores. A erradicação da vacina, com os cumprimentos do plano nacional, o Tocantins poderá abrir ainda mais mercado para a carne.

Hoje, os produtores do Estado vendem sua carne para mais de 100 países, mas há restrições como da União Europeia, mercado exigente em termos de controle de sanidade. “Dizer que é livre, mas ainda usar a vacina gera desconfiança do mercado”, afirmou.

Sem a vacinação, para o veterinário, o trabalho de fiscalização e vigilância da sanidade animal serão fundamentais para o Tocantins manter o status.

O PROGRAMA

Na UFT 96,9 FM, o Norte Agropecuário no Rádio alcança um público de aproximadamente 400 mil pessoas que vivem em 20 cidades no entorno da capital tocantinense. O programa também está na internet, para o restante do Brasil e para o mundo no portal e nos seus canais nas redes sociais (Twitter, Facebook e Youtube).

A atração da nova temporada na UFT FM é a veiculação do programa em dois dias diferentes: aos domingos, a partir das 8h, e reprise às quartas-feiras, a partir das 6h20. O programa tem 30 minutos de duração, com apresentação dos jornalistas Cristiano Machado e Daniel Machado.

Tocantins poderá obter status de Estado livre da febre aftosa sem vacinação a partir de 2023

CLIQUE AQUI E LEIA AS ÚLTIMAS NOTÍCIAS PUBLICADAS SOBRE A FEBRE AFTOSA 

Voltar

Comentários


Deixe um comentário

Redes Sociais
2019 Norte Agropecuário