Criada em 11/06/2019 às 14h40 | Meio Ambiente

Ruraltins e ONG holandesa discutem restauração florestal

O projeto Corredor de Biodiversidade do Rio Araguaia prevê ações de o Parque Nacional das Emas, em Goiás, até a foz do Rio Tocantins, em Belém (PA), passando pelo estado do Tocantins abrangendo 23 municípios que serão contemplados com a restauração de áreas degradas.

Imagem
A meta é chegar em 600 hectares de restauração ecológica ao longo do corredor de biodiversidade do Rio Araguaia. (Foto Ruraltins/Governo do Tocantins)

Amanda Oliveira
DE PALMAS (TO)

Extensionistas do Instituto de Desenvolvimento Rural do Tocantins (Ruraltins), em reunião com representantes da ONG holandesa Black Jaguar Foundation, com sede em São Paulo, conheceram o projeto Corredor de Biodiversidade do Rio Araguaia, o maior do mundo localizado na região de cerrado, compreendendo 2.600 km, começando no Parque Nacional das Emas, em Goiás, até a foz do rio Tocantins, em Belém (PA). No Tocantins a ação tem por objetivo restaurar áreas degradadas existentes em 23 municípios tocantinenses, já mapeados, dentro do corredor.

De acordo com o coordenador do projeto, o engenheiro florestal, Dimitrio Schievenin, a ideia é firmar parceria com o Ruraltins, no sentido de contribuir com as metas de restauração ecológica.

“O Ruraltins seria uma ponte entre os proprietários para unirmos interesses coletivos. A fundação apoia os proprietários rurais a cumprirem as normas do código florestal por meio da restauração ecológica, e o projeto visa à recuperação das Áreas de Preservação Permanente (APP) e proteção da Reserva Legal. A ONG custeia toda a parte de insumos e mudas. Em contra partida, o proprietário fornece a mão de obra e algum equipamento que ele tiver disponível na propriedade para fazer o replantio de floresta” explicou.

O engenheiro florestal e Coordenador de Campo, Carlos Eduardo Batista de Oliveira, ressaltou que a ONG não tem um valor previsto de investimentos, mas possuem metas a longo prazo, que precisam ser atingidas. Para isso, um termo de cooperação técnica deverá ser apresentado pelo Ruraltins.

“Nossa meta é chegar em 600 hectares de restauração ecológica ao longo do corredor de biodiversidade do Rio Araguaia. A intenção é que o Ruraltins apresente um termo de cooperação técnica, financeira e de extensão rural, para atingirmos juntos os objetivos”, afirmou o engenheiro florestal.

O diretor de Assistência Técnica e Extensão Rural, do Ruraltins, Kin Carlos Gomides, destacou que o órgão pretende unir as necessidades do agricultor em todos os campos, com a assistência técnica efetiva, acompanhamento, monitoramento e levantamento de indicadores, que possam servir de base para futuras políticas públicas que envolvam esses agentes e atores.

“O encontro debateu possíveis parcerias entre a ONG e Ruraltins. Essa foi a primeira discussão, pois a proposta é construir um projeto que envolva todas as necessidades de assistência  técnica e extensão rural que contemple o desenvolvimento do Ruraltins com esse projeto, e que  efetivamente o produto final seja a melhor conservação das matas ciliares, do vale do Araguaia”, disse.

Encaminhamento

Ao final da reunião, ocorrida nesta segunda-feira, 10, ficou acertado que a ONG holandesa Black Jaguar Foundation encaminhará propostas a serem analisadas em parceria com a gestão do Ruraltins, para a construção coletiva de um projeto que possa ser efetivado. (Do Ruraltins)

Comentários


Deixe um comentário

Redes Sociais
2019 Norte Agropecuário