Criada em 25/03/2019 às 10h55 | Pecuária

Vacinação contra aftosa: Mapa admite alteração de cronograma e diz ter mecanismos para suprir as deficiências de Estados

“O cumprimento das referidas metas pode, assim, ensejar, tanto o atraso, quanto a antecipação do mencionado cronograma”, disse, com exclusividade ao Norte Agropecuário, o diretor do departamento de Saúde Animal do Mapa, Geraldo Marcos de Moraes.

Imagem
Mapa informa que “o PNEFA prevê a alteração do cronograma inicialmente definido de retirada gradativa da vacinação contra a febre aftosa em território nacional, em função do cumprimento das metas previamente estabelecidas para tanto” (Mapa)

O Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) informou, por meio de nota, que conforme o cumprimento de prazos e normas estabelecidas, pode, antecipar ou prorrogar a execução do Programa Nacional de Erradicação da Febre Aftosa (PNEFA 2017/2026). “O PNEFA prevê a alteração do cronograma inicialmente definido de retirada gradativa da vacinação contra a febre aftosa em território nacional, em função do cumprimento das metas previamente estabelecidas para tanto. O cumprimento das referidas metas pode, assim, ensejar, tanto o atraso, quanto a antecipação do mencionado cronograma”, disse, por meio da assessoria de imprensa, o diretor do Departamento de Saúde Animal da Secretaria de Defesa Agropecuária do Mapa, Geraldo Marcos de Moraes. 

A informação do ministério é uma resposta à entrevista concedida ao Norte Agropecuário pelo vice-presidente executivo do Sindicato Nacional da Indústria de Produtos para Saúde Animal (Sindan), Emílio Carlos Salani, que defende o início da erradicação a partir de 2021 e não neste ano, conforme o cronograma já estabelecido.

VEJA O QUE FOI PUBLICADO SOBRE O TEMA NO NORTE AGROPECUÁRIO  

Sindan alerta sobre consequências da retirada de vacinação antiaftosa a Estados que atravessam problemas financeiros

"É preciso reforçar o serviço de defesa animal", afirma o efetivo do CRMV-TO

“Status livre de aftosa sem vacinação vai agregar valor e trará rentabilidade aos produtores do Tocantins”

Tocantins pode obter status de livre de febre aftosa sem vacinação a partir de 2023

CLIQUE AQUI E LEIA AS ÚLTIMAS NOTÍCIAS PUBLICADAS SOBRE A FEBRE AFTOSA 

Na entrevista, Salani fez um alerta: Estados que enfrentam dificuldades financeiras precisam estar conscientes e se preparar para a retirada da vacinação contra febre aftosa, que acontecerá em todo o país.

Em relação a este fato, o diretor do Ministério da Agricultura respondeu: “o MAPA dispõe de meios próprios, estabelecidos na forma da legislação vigente, para avaliar a performance dos servidos veterinários estaduais. O desconhecimento dos parâmetros utilizados pelo SINDAN, que serviram de base ao alerta que lhe é atribuído, impossibilita manifestação do MAPA a esse respeito”.

SAIBA MAIS SOBRE O ROAD-SHOW 

Empresas de agronegócio apresentam seus produtos e serviços no Road-Show; ouça!

Convidado por empresa de SP, Norte Agropecuário conhece principais polos produtores de alimentos de 3 Estados 

Produção e tecnologias são o foco do Road-Show

Norte Agropecuário conhece confinamento que fatura por ano R$ 250 milhões

Destaque no cenário nacional na criação de Angus, Brahman e Simental, Casa Branca Agropastoril apresenta seu potencial

No MS, Norte Agropecuário vai a maior produtora de alevinos de tilápia e visita projeto que faz 100 mil toneladas de peixes

Minerva Foods reúne 100 pecuaristas de Araguaína e de Goiás em projeto que busca qualidade de animais 

Fim da obrigatoriedade de vacinar contra o aftosa e carne 4.0 são os temas do último dia do Road-Show

Sindan alerta sobre consequências da retirada de vacinação antiaftosa a Estados que atravessam problemas financeiros

“Jeito sertanejo de fazer agropecuária ficou para trás”, diz Campanelli, que fatura R$ 250 milhões em confinamento

Tags:

Comentários


Deixe um comentário

Redes Sociais
2019 Norte Agropecuário