Criada em 16/08/2019 às 18h03 | Pecuária

Campo Futuro: Pecuaristas de corte de Paraíso do TO participam de levantamento de informações sobre custo da produção

O encontro aconteceu nesta sexta, 16, com pecuaristas de corte de Paraíso do Tocantins. A iniciativa faz parte do projeto Campo Futuro, desenvolvido pela Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA) e visa levantar informações sobre o custo da produção.

Imagem
Dados preliminares do painel mostram que o sistema produtivo predominante no município é o de cria. (Foto Lenito Abreu / Governo do Tocantins)

Pecuaristas de corte de Paraíso do Tocantins (TO) participaram na sexta (16) do levantamento de informações sobre o custo de produção da atividade. A iniciativa faz parte do projeto Campo Futuro, que a Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA) desenvolve com universidades e centros de pesquisa.

O encontro reuniu, além de produtores, representantes de sindicatos rurais e da Federação da Agricultura e Pecuária do Estado de Tocantins (Faet). Os trabalhos foram coordenados pelo analista de pecuária de corte Giovani Penazzi, do Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada (Cepea).

Dados preliminares do painel mostram que o sistema produtivo predominante no município é o de cria. A propriedade modal tem porte médio, de 600 hectares, com 65% ocupados por pastagens.

“De maneira geral, os produtores optam por subutilizar suas áreas, obtendo como resultado taxas de lotação de aproximadamente 0,7 unidades animais por hectare de pastagem, abaixo da média nacional”, explicou Penazzi.


Reunião com pecuaristas de corte de Paraíso do Tocantins (Foto Divulgação CNA)

Outra característica da região é que o sistema de monta natural, sem estações de monta, contribui para a taxa de natalidade de aproximadamente 60% ao ano, e consequentemente à baixa quantidade de arrobas vendidas por unidade de área (aproximadamente 2,7).

Assim, o sistema não permite que o produtor dilua seus custos fixos, ficando com uma margem líquida positiva, porém reduzida.

Para o presidente do Sindicato Rural de Paraíso do Tocantins, Rogério Moraes, o projeto dá ao produtor uma conscientização do que precisa ser melhorado na gestão dos custos de produção na propriedade. (Da Ascom CNA)

Tags:

Comentários


Deixe um comentário

Redes Sociais
2019 Norte Agropecuário