Criada em 19/02/2020 às 08h59 | Pecuária

TO tem maior alta para o boi gordo em fevereiro; “na pecuária lucrativa, o produtor é um criador de pasto”, diz consultor

Para consultor Fernando Scotta, que reside em Gurupi, no interior do Tocantins, o verdadeiro desafio no Brasil hoje é melhorar eficiência de pastejo. “Manejo correto das Pastagens tem o melhor custo benefício dentro de uma fazenda por que custa R$ 0,00”, declarou.

Imagem
Fernando Scotta: “A produção apenas de bom pasto, já não é um grande desafio, visto o maior conhecimento que temos hoje de nutrição de solos, variedades de pastagens, etc...” (fotos: Divulgação)

Desde o início deste mês, a alta mais expressiva no mercado do boi gordo foi verificada no Tocantins, onde a cotação teve alta de 11,0%, ou R$18,50/@. A oferta limitada de animais terminados tem sido o principal vetor de pressão de alta das cotações, informa a Scott Consultoria.

Para o curto prazo, com as pastagens em boas condições e a possibilidade de retenção das boiadas, associado a uma possível melhora de consumo com o feriado de Carnaval na próxima semana, mantém a expectativa de manutenção do viés positivo para o boi gordo.

"CRIADOR DE PASTO"

Para o consultor do agronegócio Fernando Scotta, “na pecuária lucrativa, o produtor é um criador de pasto”. “A produção apenas de bom pasto, já não é um grande desafio, visto o maior conhecimento que temos hoje de nutrição de solos, variedades de pastagens, etc...”, analisa. 

Para ele, o verdadeiro desafio no Brasil hoje é melhorar eficiência de pastejo. “E dominar formas de piquetear e rotacionar se torna necessário, pois saber somente a hora de entrada e saída, não é suficiente para garantir alta eficiência de pastejo. Se temos pasto "rapado" ou "passado" na fazenda, quem está no comando é o gado e não seus gestores. Em piquetes muito grandes fica muito difícil acertar lotações e daí então temos uma situação de super e/ou sub pastejo”, comentou.

Ainda conforme Scotta, “manejo correto das Pastagens tem o melhor custo benefício dentro de uma fazenda por que custa R$ 0,00”. “Vale ressaltar que as pastagens são perenes e bem manejadas, duram décadas bem formadas e produtivas. Para cada R$ 1,00 que o pecuarista tem investido em gado, ele tem aproximadamente de R$ 10,00 a R$ 15,00 investidos em terras (pastagens), portanto, este é o seu maior patrimônio”, finalizou. (Com informações da Scott Consultoria)

Tags:

Comentários


Deixe um comentário

Redes Sociais
2020 Norte Agropecuário