Criada em 13/09/2018 às 16h29 | Agronegócio

Brasil colhe 99% do total de 79 milhões de hectares plantados em 2017, mas produção agrícola cai 0,6% em relação ao ano anterior

O IBGE divulgou nesta quinta, 13, a Pesquisa Agrícola Municipal apontando que a produção agrícola do Brasil sofreu uma queda de 0,6% de 2016 para 2017, saindo de R$ 321,5 bilhões para R$ 319,6 bilhões. Mas a área colhida cresceu 3,6%, chegando a 78,2 milhões/ha, o equivale a 99% do total.

Imagem
Segundo IBGE, maior oferta de produtos faz com que haja redução de preços. (Foto Divulgação Web)

Akemi Nitahara
DO RIO DE JANEIRO (RJ)

A produção agrícola do Brasil alcançou R $ 319,6 bilhões em 2017, uma queda de 0,6% em relação a 2016, quando as safras dos 64 produtos pesquisados ​​renderam R $ 321,5 bilhões.

A taxa de crescimento foi de crescimento de 3,6%, chegando a 78,2 milhões de hectares, num total de 79 milhões de hectares plantados. The data were divulgados today (13) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), na Pesquisa Agrícola Municipal (PAM) - 2017.

O gerente de agricultura do IBGE, Alfredo Guedes, foi "excelente" e impulsionou a produção no ano passado, principalmente de soja e milho, com recuperação em 18,9% e 52,3%, respectivamente. Em 2016, ele foi vítima de 1,2% e 24,8% por causa da seca provocada pelo fenômeno climático El Niño.

No entanto, Guedes explica o retorno de 0,6% para o aumento da produção, como resultado da produção de produtos.

“O aumento da oferta fez com que houvesse uma redução de preço de vários produtos. E quando a gente soma todos os produtos, o soma foi menor do que em 2016. Apesar de um pouco ter sido muito mais, em termos de valor foi um pouquinho menor ”, explica Guedes. O IBGE está acima no nível anterior.

O valor da produção caiu 12,7%, o título teve o desconto de 28,8% eo trigo diminuiu 41,9%, o único produto prejudicado pelo clima. A valorização da cerveja inglesa chegou a 50,9%.

A principal cultura do país continua sendo uma soja, que responde por 35,1% da produção agrícola nacional. Em segundo lugar, ficou um cana-de-açúcar (17%), em terceiro, o milho (10%). O café tem 5,8% do valor da produção.

Nos dados da PAM 2016, o valor total da produção é R $ 317,5 bilhões, mas o valor foi revisitado para R $ 321,5 bilhões.

Guedes ressalta that the production accrived for the balance of commercial brasileira, with value added from 13% na agropecuária.

“Foi o setor que mais cresceu no ano passado. Enquanto outros setores da economia ficaram um pouco estagnados, a agropecuária foi a que teve esse grande destaque no PIB do ano passado, essa grande produção influenciou no PIB do país”.

Distribuição regional

Dos 5.570 municípios do país, apenas 14 não têm produção agrícola, sendo dez deles no estado de São Paulo. Também não têm produção agrícola Recife e Fernando de Noronha (PE), Vitória (ES), e Cabedelo (PB).

São Paulo continua como principal produtor agrícola do país, com 16,6% do total do valor da produção nacional. Depois, vem Mato Grosso (13,6%), Paraná (11,9%), Rio Grande do Sul (11,7%) e Minas Gerais (9,8%).

No ranking dos critérios, Sorriso, no Mato Grosso, não há crescimento de 2,4% em relação a 2016. O principal produto é uma soja , com 2,2 milhões de toneladas. Em segundo lugar, ficou Sapezal, também no Mato Grosso, que produziu R $ 2,6 bilhões e tem como principal produto o algodão. Em terceiro, vem São Desidério, no oeste baiano, que alcançou R $ 2,4 bilhões.

Do total de produtores, 91,7% cultivam milho.

Entre as regiões, o açaí é o principal produto na Região Norte; no Centro-Oeste, no Nordeste e no Sul, uma soja é dominante. No Sudeste, principal cultura é cana-de-açúcar. (Da Agência Brasil)

Tags:

Comentários


Deixe um comentário

Redes Sociais
2018 Norte Agropecuário