Criada em 11/01/2018 às 23h08 | Agricultura

Com R$ 142,37 milhões, fertilizante é o segundo produto mais importado no Tocantins; China é o maior país-vendedor

Os mais 190 milhões de quilos de fertilizantes adquiridos em 2017 pelos produtores e empresas tocantinenses não têm precedentes na história do Estado, sendo o maior volume já registrado.

Imagem

DANIEL MACHADO
DE PALMAS

A importação de adubo (fertilizante) por parte das empresas e produtores tocantinense bateu recorde em 2017. Ao todo, foram comprados US$ 42,95 milhões, o que representou R$ 142,37 milhões na cotação desta quarta-feira, 10 de janeiro.

Os dados são resultados de apuração do Norte Agropecuário no sistema Alice Web, maior portal de informações oficiais sobre transações comerciais do Mercosul. No Brasil, as informações são de responsabilidade do Ministério da Indústria e Comércio Exterior.

Em volume de dinheiro, o produto foi o segundo mais importado pelo Estado no ano passado, ficando atrás apenas dos materiais de combustíveis minerais e betuminosos, que alcançaram US$ 92,97 milhões. Em quantidade, foram comprados pelos produtores e empresas tocantinenses 190,4 milhões de quilos de fertilizante. Assim, a média paga por quilo ficou em R$ 75.

OS PAÍSES

Em dinheiro, a maior quantidade do fertilizante comprado pelos tocantinenses é da China, com US$ 12,14 milhões, para adquirir 43,57 milhões de quilos. Na segunda colocação está Israel, com US$ 11,31 milhões (47,17 milhões de quilos) e a Rússia, na terceira colocação, com US$ 11,01 milhões (44,18 milhões). Já o Egito vendeu US$ 2,86 milhões, mas com um volume muito alto – 25,4 milhões de quilos.

Os mais 190 milhões de quilos de fertilizantes adquiridos em 2017 pelos produtores e empresas tocantinenses não têm precedentes na história do Estado, sendo o maior volume já registrado.

LEIA TAMBÉM

“Até se pode fazer adubo nacional, mas o custo de produção ainda é muito alto”, afirma presidente da Aprosoja

 

Tags:

Comentários


Deixe um comentário

Redes Sociais
2018 Norte Agropecuário