Criada em 11/11/2018 às 12h30 | Comunicação

“Retirada de vacinação contra aftosa gera ganho comercial, mas é preciso reforçar serviço de defesa animal”, diz efetivo do CRMV-TO

Marcelo Dominici destaca as necessidades de controle sanitário após o fim da vacinação no rebanho nacional. A decisão é irreversível e em âmbito nacional. Mas, o médico veterinário reafirma que para manter a segurança, cada Estado terá que reforçar as fiscalizações de barreira.

Imagem

Conselheiro efetivo do Conselho Regional de Medicina Veterinária do Tocantins (CRMV-TO), o médico veterinário Marcelo Dominici, em entrevista ao Norte do Agropecuário no Rádio deste domingo, dia 11, abordou as necessidades e cuidados com a sanidade animal do rebanho brasileiro com a retirada da vacinação contra febre aftosa.

"O pecuarista ganha, o vale a pena receber, uma criação de bovinos passa por um novo referenciamento, porém, o que quer que seja o serviço de defesa animal para não correr o risco de ter um surto", afirmou. 

Uma retirada acontecerá em âmbito nacional. No Tocantins, a avaliação é de livre de febre aftosa sem vacância ser obtida a partir de 2023, conforme informaram as autoridades de defesa agropecuária do Estado.

“[a retirada da vacinação] É um ganho de status comercial, mas perde a condição de segurança. Para não perder a segurança, [a defesa agropecuária] terá que reforçar as fiscalizações de barreira. E em acaso de surto, tem que ter fundo para indenizar”, disse, ressaltando que o Tocantins tem o Fundeagro, que possuía saldo de R$ 17 milhões, conforme o último boletim.

O PROGRAMA

Na UFT 96,9 FM, o Norte Agropecuário no Rádio alcança um público de aproximadamente 400 mil pessoas que vivem em 20 cidades no entorno da capital tocantinense. O programa também está na internet, para o restante do Brasil e para o mundo no portal e nos seus canais nas redes sociais (Twitter, Facebook e Youtube).

A atração da nova temporada na UFT FM é uma veiculação do programa em dois dias diferentes: aos domingos, a partir das 8h, e reprise às quartas-feiras, a partir das 6h20. O programa tem 30 minutos de duração, com a apresentação dos jornalistas Cristiano Machado e Daniel Machado.

Desembarcar TAMBÉM 

“Status livre de aftosa sem vacar vai agregar valor e trará rentabilidade aos produtores do Tocantins”

Tocantins podem obter status de livre de febre aftosa sem vacinação a partir de 2023

CLIQUE AQUI E LEIA AS ÚLTIMAS NOTÍCIAS PUBLICADAS SOBRE A FEBRE AFTOSA 

Tags:

Comentários


Deixe um comentário

Redes Sociais
2018 Norte Agropecuário