Criada em 12/11/2018 às 09h51 | Exportações

Países árabes compram mais de US$ 38 milhões de carne do Tocantins; mudança de embaixada pode causar prejuízos

Egito, país que retaliou Brasil após anúncio de presidente eleito de transferir embaixada de Israel, é o segundo maior comprador do Estado. Para o advogado Didimo Heleno, especialista em oriente médio, o processo burocrático não é simples, mas admite reflexos negativos financeiros.

Imagem
A cada cinco quilos do produto tocantinense vendido para o exterior, um quilo vai para alguma nação de etnia árabe (foto: Ro.gov.br\Divulgação)


Clique no ícone acima e faça uma entrevista

DANIEL MACHADO
DE PALMAS (TO)

De janeiro a outubro de 2018, os países árabes somaram US $ 38 milhões (R $ 143,59 milhões) de carne do Tocantins. O valor é de US $ 9,43 milhões (R $ 35,48 milhões) superior ao registrado em todo o ano passado.

Ao todo, os países árabes compraram 20% de toda uma carne exportada pelo Tocantins. Isso quer dizer que é um quilo do produto vendido para o exterior, um quilo para alguma nação de etnia árabe.

Os dados foram apurados pelo Norte. Agropecuário com base em relatórios detalhados sobre o sistema. Comex Stat, administrado pelo Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços.

Porém, a continuidade desse mercado pode estar ameaçada, após o anúncio do presidente eleito Jair Bolsonaro de transferir a embaixada brasileira em Israel da cidade de Tel Aviv para Jerusalém.

Isso ocorre porque a cidade de Jerusalém é sagrada para as três grandes religiões do mundo (Cristianismo, Judaísmo e Islamismo) e a região é alvo de conflitos históricos.

OS REFLEXOS

Para o advogado Dídimo Heleno, especialista em Oriente Médio e autor de várias palestras, uma confirmação da transferência pode trazer reflexos. “O Brasil tem uma relação diplomática e econômica com os países árabes histórica. E é claro que isso pode ser afetado, sim, pois uma parte da cidade de Jerusalém é considerada pelos palestinos como deles. E é claro que isso pode afetar”, ressaltou Dídimo.

O advogado afirmou, porém, que ainda é cedo para falar em prejuízo para o Tocantins. Ele lembrou que o processo burocrático para mudar a embaixada não é simples e isso não será feita de uma hora para outra.

Mesmo assim, ressaltou que a confirmação da transferência pode causar prejuízos e a substituição do mercado comprometido do mundo árabe não é fácil. “Uma substituição, significa uma perda, pois se deixou de vender para alguém que estava comprando”, salientou.

O EGITO

O anúncio do presidente eleito já provocou a primeira represália. O Egito cancelou, em cima da hora, uma visita oficial do ministro de Relações Exteriores, Aloysio Nunes, àquele país marcada há muito tempo.

O Egito, com mais de US$ 10 milhões, é os segundo maior comprador de carne tocantinense.

Confira, abaixo, a relação dos principais compradores árabes de carne tocantinense:

Egito – US$ 10,58 milhões

Jordânia – US$ 6,26 milhões

Emirados Árabes Unidos – US$ 5,67 milhões

Argélia – US$ 4,37 milhões

Líbano – US$ 3,59 milhões

Arábia Saudita – US$ 3,17 milhões

Líbia – 2,04 milhões

Tags:

Comentários


Deixe um comentário

Redes Sociais
2018 Norte Agropecuário