Criada em 29/10/2018 às 15h24 | Grãos

Estados Unidos intensificam colheita de soja; já Brasil e Argentina avançam semeio; cotações do milho seguem pressionadas

Conforme apuração de pesquisadores, No Paraná, as atividades estão mais adiantadas, seguido por Mato Grosso. Já no Rio Grande do Sul e em Santa Catarina, o semeio ainda está no início.

Imagem

Enquanto os Estados Unidos intensificam a colheita de soja, favorecidos pelo clima, no Brasil e na Argentina produtores avançam com o plantio, segundo informações do Cepea. No Paraná, as atividades estão mais adiantadas, seguido por Mato Grosso. Já no Rio Grande do Sul e em Santa Catarina, o semeio ainda está no início. Além de a janela de semeio ser mais tarde nestes dois últimos estados, as frequentes precipitações têm impedido os trabalhos de campo. Quanto aos preços, entre 19 e 26 de outubro, o Indicador ESALQ/BM&FBovespa da soja Paranaguá (PR) recuou 2,15%, a R$ 87,64/saca de 60 kg nessa sexta-feira. No mesmo comparativo, o Indicador CEPEA/ESALQ Paraná registrou queda de 2,6%, a R$ 81,15/sc de 60 kg no dia 26.

PRESSÃO NO MILHO

A posição mais ativa de vendedores e o menor interesse comprador continuam pressionando as cotações do milho no mercado brasileiro, de acordo com informações do Cepea. Entre 19 e 26 de outubro, o Indicador ESALQ/BM&FBovespa caiu 1,9%, fechando a R$ 34,55/saca de 60 kg na sexta-feira, 26. Na parcial de outubro (até o dia 26), o recuo é de 12,31%. Quanto às exportações, seguem inferiores às do ano passado. Nos primeiros 14 dias úteis de outubro, foram embarcadas 2,27 milhão de toneladas de milho, com média diária de 174,4 mil toneladas, segundo a Secex. Caso este ritmo permaneça até o fim do mês, podem ser exportadas mais de 3,87 milhões de toneladas, volume 23% menor que o de outubro de 2017.

A MANDIOCA

Devido à baixa liquidez nos mercados dos derivados, a demanda industrial pela raiz segue praticamente estável, segundo indicam pesquisadores do Cepea. Com isso, as cotações da raiz foram pressionadas em todas as regiões produtoras do Centro-Sul. Entre 22 e 26 de outubro, o preço médio nominal a prazo para a tonelada de mandioca posta fecularia foi de R$ 436,26 (R$ 0,7587 por grama de amido na balança hidrostática de 5 kg), recuo de 2,2% frente à média da semana anterior. (Do Cepea/Esalq)

Tags:

Comentários


Deixe um comentário

Redes Sociais
2018 Norte Agropecuário