Criada em 09/11/2018 às 07h53 | Investigação

Esquema de pagamento de propina no Ministério da Agricultura leva para cadeia um dos donos da JBS e vice-governador de Minas

Joesley Batista e Antônio Andrade, ex-ministro da Agricultura na gestão Dilma Rousseff, foram presos pela Polícia Federal na manhã desta sexta-feira. São 19 mandados de prisão temporária expedidos pelo TRF da 1ª Região e 63 mandados de busca e apreensão em cinco Estados e no DF.

Imagem
JBS teria pago R$ 2 milhões, por exemplo, pela regulamentação da exportação de despojos e R$ 5 milhões pela proibição de um remédio para parasitas de longa duração (foto: Agência Brasil\Arquivo)

A Polícia Federal presidida na sexta-feira (9) o empresário Joesley Batista, da JBS, eo vice-governador de Minas Gerais, Antônio Andrade (MDB), por crime de lavagem de dinheiro em operação desdobramento da Lava Jato .

Ao UOL , um dos advogados de Joesley, Pierpaolo Bottini, que não existe um comentário sobre a situação, não teve acesso ao momento.

A ação, batizada de Capitu, é realizada em São Paulo, Minas Gerais, Rio de Janeiro, Paraíba, Mato Grosso e Distrito Federal. Joesley foi preso em São Paulo e Andrade, no interior de MG.

The being being cumpridos, no total, 19 mandados de prisão temporária, expedidos pelo Tribunal Regional Federal da 1ª Região, e 63 mandatos de busca e de apreensão de estados.

A investigação da PF tem como base os princípios de investimento, a contabilidade, a política de investimento e os lucros diretos no Ministério da Agricultura em 2014 e 2015.

À época, Andrade era ministro da Agricultura, no governo Dilma Rousseff. Ele é cobrado propina de Joesley para empregar as medidas benéficas de um JBS, em detrimento dos clientes do grupo.

Segundo a PF, um ter- ceiro da JBS pagou R $ 2 milhões, por exemplo, na exportação de desinfetantes e R $ 5 milhões na proibição de compra de longa duração.

Ainda segundo uma polícia, um deputado federal da Paraíba concedeu R $ 50 do grupo como contrapartida, em decorrência da tentativa de federalização das inspeções sanitárias de frigoríficos por meio de uma emenda, de acordo com a natureza totalmente diversa do escopo da medida. provisória nº 653/2014 na qual foi inserida.

Em 2017, durante a pré-venda na Procuradoria-Geral da República, o empreendedor Joesley Batista que atuou com o ex-deputado Eduardo Cunha (MDB-RJ) e Lúcio Funcho em esquema de combate ao Ministério da Agricultura para favorecer as empresas.

MANIFESTAÇÃO DA DEFESA

Por meio de nota, a defesa de Joesley informou que a prisão de seu cliente foi recebida com “estranheza”, uma vez que o empresário é colaborador da Justiça, função que estaria sendo cumprida “à risca”.

“Causa estranheza o pedido de sua prisão no bojo de um inquérito em que ele já prestou mais de um depoimento na qualidade de colaborador e entregou inúmeros documentos de corroboração.

A prisão é temporária e ele vai prestar todos os esclarecimentos necessários”, diz a nota, em declaração atribuída ao advogado André Callegari. (Com informações do UOL e da Agência Brasil)

Tags:

Comentários


Deixe um comentário

Redes Sociais
2018 Norte Agropecuário