Criada em 08/10/2018 às 12h11 | Piscicultura

"Até hoje a atividade não deslanchou", diz pesquisador ao apontar gargalos da piscicultura no Estado do Tocantins

Existem questões ligadas à política pública... Ou ausência de política pública para que o poder público possa melhorar a cadeia", afirmou Pedroza, em entrevista ao programa Norte Agropecuário no Rádio, veiculado na UFT FM e reproduzido no portal que destaca notícias do Matopiba.

Imagem
Manoel Pedroza: "Precisamos entender quais os fatores que precisam ser apoiados por essa cadeia" (foto: Norte Agropecuário\Divulgação)


Clique no ícone acima e assista à entrevista na íntegra

Considerado um dos Estados Unidos em termos de potencial hídrico, o Tocantins não "deslanchou" na piscicultura, indica pesquisa Manoel Pedroza, da Embrapa Pesca e Aquicultura, com sede em Palmas (TO). "A ausência de consciência urbana ... A ausência de regras públicas ... A ausência de regras públicas para que uma política pública possa melhorar a cadeia", afirmou Pedroza, em entrevista ao programa Norte do Agropecuário no Rádio , veiculado na rádio UFT FM

CLIQUE AQUI E OUÇA NA ÍNTEGRA O PROGRAMA NORTE AGROPECUÁRIO NO RÁDIO

The state of one production important of tambores, but rare our gargalos in the production of peixes. Ele é, por exemplo, de infraestrutura, estradas e ações para fomentar o comércio do pescado.

O pesquisador lidera uma pesquisa para saber o que interfere sem sucesso ou fracasso da atividade no país. "Precisamos entender quais os fatores que precisam ser apoiados por essa cadeia", destacou, ao citar itens como capacidade, capacidade de mão-de-obra e atração de indústrias. "É fundamental que haja mercado e cadeia de suprimentos: ração, alevinos, tanque redes e medicamentos", complementou.

PRODUÇÃO NO TOCANTINS

Atualmente, o Tocantins é o 15º produtor de peixe do país, respondendo, por apenas 1,8% do total nacional. Em todo o país a cadeia produtiva da piscicultura movimenta cerca de R$ 180 milhões ao ano e gera cerca de 4.500 empregos diretos e 6.750 indiretos. E conta com frigoríficos para o abate de peixes, laboratórios para a produção de alevinos e apenas uma fábrica de ração para peixe. Dentre as espécies de peixes encontradas em criações no Estado estão o Tambaqui, a Caranha, o Piau, o Pirarucu, o Matrinxã e o Cachara.

ÁGUA NO TOCANTINS

Conforme divulgação recente da Secretaria de Meio Ambiente do Estado, o Tocantins gera uma vazão correspondente a 731.977 litros por segundo de água. Desse potencial, apenas 5% da água é emprega para atender a demanda que o Estado possui nos diversos setores produtivos que utilizam a água para se desenvolver, absorvendo o total de 35.945 litros por segundo.

NO RÁDIO 

Na UFT FM, o Norte Agropecuário no Rádio alcança um público de 400 mil pessoas em 20 cidades ao redor de Palmas. O programa também está na internet.

A atração da nova temporada do programa na UFT FM (96,9 para Palmas) é a veiculação do programa em dois dias diferentes: aos domingos, a partir das 8h, e reprise às quartas-feiras, às 6h20. O programa tem 30 minutos de duração, com apresentação dos jornalistas Cristiano Machado e Daniel Machado.

VEJA TAMBÉM: DO ARQUIVO DO #NORTEAGROTO

Dificuldade de atender demanda do mercado é o principal entrave da piscicultura no Estado

Para chefe da Embrapa, setor precisa ser organizado e necessita de infraestrutura

Projeto da Embrapa estuda cadeia produtiva da tilápia no Tocantins

VEJA AS ÚLTIMAS NOTÍCIAS SOBRE O MERCADO DA PESCA NO ESTADO DO TOCANTINS

LEIA MAIS SOBRE O SEGMENTO DA PISCICULTURA NO ESTADO DO TOCANTINS

CLIQUE AQUI E OUÇA AS EDIÇÕES ANTERIORES DO NORTE AGROPECUÁRIO NO RÁDIO 

-
SE LIGUE NAS ONDAS DO RÁDIO 
“Norte Agropecuário no Rádio”
Na UFT FM (96,9 FM em Palmas)
Em dois horários: Aos domingos, às 8h Às quartas-feiras, às 6h20 também na web: www.norteagropecuario.com. br 
 
 

Tags:

Comentários


Deixe um comentário

Redes Sociais
2018 Norte Agropecuário